A 20º viagem da rede do ano de 2019 foi para a cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas (AM). Desta vez a equipe da ACBG visitou o único UNACON do estado, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCECON).

Realizada no dia 25/07 no período da tarde, a nossa conexão com o FCECON foi uma visita mais tradicional da R+V, apenas uma reunião com profissionais da saúde do hospital e os pacientes separados, com apresentações e uma volta no hospital para conhecer as instalações. Esse dia foi escolhido porque era dia do ambulatório de cabeça e pescoço, além disso, ao final do dia os profissionais da equipe multidisciplinar costumam se reunir para discutir alguns casos.

Fomos muito bem recebidos pelo cirurgião de cabeça e pescoço Dr. Felipe Jezini III que nos deixou bem à vontade. Ao final do dia os demais profissionais se juntaram ao auditório para as apresentações. A evento teve participação dos profissionais das seguintes especialidade: Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Oftalmologista e Fonoaudiologia. 

O FCECON é um hospital de grande porte e um UNACON com serviço de radioterapia que atende toda a região Norte do Brasil, além de oferecer apoio e serviço de RDT para outros UNACONs que não tem dentro da região. Ele é a principal referência na região Norte do Brasil. Também é um Hospital Ensino oferecendo residência e pesquisa em diversas áreas da saúde.

Segundo o Dr. Marco Antonio C. Rocha, chefe do setor de cabeça e pescoço, o FCECON perdeu a habilitação de CACON em 2014, passando a ser UNACON com serviços de Radioterapia, Hematologia e Oncologia Pediátrica.

Além de oferecer o ciclo completo de diagnóstico, tratamento e reabilitação, a instituição trabalha ativamente em prevenção com: palestras, campanhas e material informativo.

A visita ao FCECON foi muito boa, com bastante aprendizado. Foi possível um trabalho com humanização e qualidade de atendimento, com profissionais apaixonados e com a estrutura de ponta. A instituição faz um trabalho de excelência e com uma das maiores abrangências territoriais do Brasil.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Deixe seu comentário! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *