Nosso colega Adriano Nuernberg, colaborador assíduo do blog da ACBG Brasil, foi entrevistado recentemente sobre o câncer de boca e compartilhou suas respostas com a gente. Esperamos que te ajude e inspire!
Nome: Adriano Henrique Nuernberg
Idade: 43 anos
Cidade: nasci em Criciúma/SC e moro em Florianópolis/SC
Como descobriu o câncer de boca?
Eu tive duas vezes câncer de língua, o primeiro em 2007 e outro agora em 2016. No primeiro, reparei um aumento intenso do volume da minha língua. Era o tumor se expandindo. No segundo, após 9 anos, comecei observando alterações no tecido da língua e sentindo uma retração muito grande desse músculo. Em ambos os casos, a fala e a deglutição se alteraram. Então, trata-se de um tipo de câncer que você tem mais chances de perceber os primeiros sinais e, assim, procurar mais rapidamente o diagnóstico e tratamento médico.
Como foi o tratamento?
O tratamento depende do estágio do câncer e do tipo específico de neoplasia. No meu caso, nas duas vezes, comecei com cirurgia para retirada do tumor e depois fiz radioterapia associada a quimioterapia. É um tratamento duro, pois os efeitos secundários do tratamento prejudicam a fala e alimentação oral, exigindo um acompanhamento multidisciplinar, envolvendo no mínimo uma equipe formada por médico oncologista, nutricionista, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, psicólogo e dentista.
Como está atualmente? 
Agora estou na fase de reabilitação que, em geral, inicia-se após alguns meses do término da radioterapia e quimioterapia. Estou administrando os efeitos secundários do tratamento como a anemia e a disfagia, bem como buscando recuperar posturas e movimentos da boca e pescoço que foram prejudicados. Aos poucos estou mais autônomo nas atividades da vida diária e saindo do isolamento social que decorre desse processo.
Você acha que teve a doença por causa de algum hábito seu?
Os principais fatores de risco do câncer de boca são o tabagismo e o alcoolismo. No momento do diagnóstico os médicos sempre perguntavam se fumava ou bebia. Como nunca fumei e também nunca exagerei no consumo de bebidas alcóolicas, sugeriam novos exames para investigar outros fatores. No entanto, no meu caso, não foi possível identificar um fator de risco preponderante ou alguma causa. Sabemos, contudo, que há sempre uma associação de condições genéticas e ambientais que aumentam a probabilidade de desenvolver um câncer.
O que você diria para as pessoas para incentivá-las a se cuidar mais e evitar esse tipo de doença?
Em primeiro lugar, evitar os hábitos que se constituem em fatores de risco como o tabagismo. No mais, ficar muito atento a qualquer alteração nos lábios, mucosa, palato, língua, dentes, gengiva, enfim, em toda a boca. Se observar alguma alteração, sugiro procurar um cirurgião de cabeça e pescoço para investigar e diagnosticar o problema. Quanto mais cedo for diagnosticado o câncer, melhor serão as chances de recuperação plena e breve.
8 respostas
  1. Tiago Tomaz
    Tiago Tomaz says:

    Olá, meu nome é Tiago e tenho 32 anos. Sobre o câncer, tem uma empresa que se chama Omnilife, que decobri e que é do México e que vende uma suplemento que combate o câncer, e em alguns casos até cura ele. O nome do produto se chama Uso. Tem que entrar no site da omnilife para pegar o telefone da empresa, para depois pegar o telefone de um revendedor que vende esse produto na área mais próxima de onde a pessoa que tem esse problema mora. O preço é até barato para o beneficio que ele traz. Mas não deixem de fazer o tratamento normal para câncer se ele estiver muito avançado, ou avançando rápido demais, para não dar metástase, e a pessoa vir a morrer. Pois isso não é brincadeira pode até causar a morte da pessoa. A minha amiga tomou esse suplemento que o médico recomendou para ela, e ela se curou do câncer, não precisou nem operar. Mas cada organismo reage de um jeito, não sei, por isso é bom ter muito cuidado.Pesquisa depois sobre eles no youtube que tem bastante conteúdo e testemunho do produto. O telefone deles é 55 11 355664646 ou o nutra sua vida que é 0800 721 6664. Tem também uma terapia que não destrói o câncer, mas impede ele de avançar pelo corpo,se chama ozonioterapia e também uma outra terapia que dizem que aumenta o sistema imunológico do corpo da pessoa e com isso mata o câncer, mas não sei se é verdade, pois nunca fiz, antes de fazê-lo é melhor pesquisar antes qualquer tratamento. A terapia se chama autohemoterapia. Espero ter ajudado a todos nesse assunto. Abraços.

    Responder
  2. Ciumara Cabral Alves
    Ciumara Cabral Alves says:

    Gostei da entrevista, meu câncer foi nas glândulas salivares em 2016 e agora em 2018 tive metástase de pulmões fiz cirurgia o primeiro só fiz radioterapia e quimioterapia

    Responder

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Deixe seu comentário! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *